Home

A SEDA – Semana do Audiovisual Campinas 2013 está lançada e seus processos abertos para a cidade! = )

Serão cinco dias de programação, em oito pontos da cidade, com exibições de produções independentes, dialógos temáticos, formações livres, encontros cognitivos, ocupação de espaços públicos , festas multilinguagens, entre outras interações, que compõem um arranjo de possibilidades ‪#‎PelaCidade‬

Acompanhe a programação completa e mais informações no link:

https://moinhocoletivo.wordpress.com/programacao-seda/

Programação Completa:

Quarta-feira – 24 de Julho

14h00 – Oficina Audiovisual Livre + Intervenção Artística OcupaSEDA

deitada

Oficina: Nesta oficina colaborativa de audiovisual, abre-se um ambiente de formação livre, que busca praticar a expressão da linguagem audiovisual na sua concepção prática e cognitiva, trazendo um exercício do olhar e expansão reflexiva dentro de necessidades de comunicação sensitiva do olhar subjetivo. A edição será feita em software livre compondo ações colaborativas nos processos abertos.

Intervenção Artística + Captação e edição Audiovisual Livre: “O Olhar de Quem Vive a Cidade”

Local: Praça Ruy Barbosa e MIS Campinas, Teoria e Prática (Centro de Campinas)

Intervenção: Alicidades

Partindo dos textos “Alice No Pais Das Maravilhas” e “Alice Através do Espelho”, a cidade é invadida pela pesquisa/performance do Coletivo Onírico, sobre o universo cênico-literário de Lewis Carroll.

O que há [entre] Fantasia e realidade?

19h00 – Exibição + Debate – ABERTURA OFICIAL SEDA CAMPINAS

Local: MIS Campinas (Rua: Regente Feijó, 859 – Centro)

Curta metragem: Aquem das Nuvens (2012) – Direção: Renata Martins.

AquemDasNuvens

Sinopse:
Nenê é casado com Geralda há 30 anos. Em uma tarde de domingo como de costume, ele vai à roda de samba encontrar os amigos. Ao chegar lá, sente que alguma coisa não está bem e volta pra casa. Quando chega em casa se surpreende com a notícia da vizinhança. Sem deixar que o ritmo do samba caia, Nenê encontra uma solução pra ficar ao lado de sua eterna namorada.

Ficha Técnica
Título Original: Aquém das Nuvens
Gênero: Drama
Direção e Roteiro: Renata Martins
Produção: Filmes de Abril e Preta Portê Filmes
Direção de Produção: Carla Comino, Eli Ramos
Elenco: Mestre André e Cleide Queiroz

Média metragem: Profissão MC – Documentário da vida de Criolo Doido – São Paulo-SP (2009) Direção: Alessandro Buso

profissaoMC 012

Sinopse:
Profissão Mc traz a estória de um rapper na periferia que num momento delicado de sua vida, desempregado e com a namorada grávida, recebe duas propostas: uma para entrar no tráfico de drogas e outra para seguir apostando no RAP. Profissão MC é um filme sobre oportunidades, ou falta delas. Este filme não captou um único real para ser produzido e pretende ser exibido em várias comunidades pelo Brasil. Este filme é a estréia de Alessandro Buzo, como Diretor, junto ao experiente Toni Nogueira

Ficha Técnica
Título Original: Profissão MC
Gênero: Drama
Distribuição: Suburbano Convicto Produções
Direção: Alessandro Buzo e Toni Nogueira
Roteiro e Argumento: Alessandro Buzo
Produção: DGT Filmes
Trilha Sonora: Criolo Doido, Rappin Hood, Dudu de Morro Agudo, Periafricania, Décio 7 e Cris Scabello
Elenco: Criolo Doido, Dj Dan Dan, Da Antiga, Juju Denden, Neto, Wagnão, Marquinhos
Participação Especial: Rappin Hood, Beto Guilherme

Debate temático: “A Produção Audiovisual Independente Como Voz Social” – Convidados: Renata Martins e Deivison Nkosi (Transmissão Ao vivo pela internet)

Quinta-feira – 25 de Julho

FORMAÇÃO LIVRE
14h00 –  Oficina Audiovisual + Contação de História

Local: Horta Itajaí (Assentamento Parque Itajaí  – Rua Cinqüenta e um, Parque Itajaí – Campinas – SP)

Contação de História: Coletivo Onírico

Curta Metragem: Levante Sua Voz – Rio de Janeiro (2007) – Pedro Eckman

Levante-sua-voz

Sinopse:
Vídeo documentário, exclusivamente produzido para a net pelo Intervozes Coletivo Brasil de Comunicação Socia com a temática do direito à comunicação. A obra faz um retrato da concentração dos meios de comunicação existente no Brasil, o papel do estado e sua relação com os conglomerados de comunicação e a insuficiência da participação da sociedade civil neste importante setor.

Ficha Técnica
Direção e roteiro: Pedro Ekman (Coletivo Intervozes)
Duração: 17 min

Oficina prática produtiva: “O Olhar de Quem Ocupa o Campo” – Audiovisual Livre + Edição em Software Livre.

Nesta oficina colaborativa de audiovisual, abre-se um ambiente de formação livre, que busca praticar a expressão da linguagem audiovisual na sua concepção prática e cognitiva, trazendo um exercício do olhar e expansão reflexiva dentro de necessidades de comunicação sensitiva do olhar subjetivo. A edição será feita em software livre compondo ações colaborativas nos processos abertos.

SEDA PRETA

18h00 – Exibição + Debate

Local: Casa de Cultura Tainã (Rua Inhambu, nº 645 – Praça dos Trabalhadores, Vila Padre Manoel da Nóbrega – Campinas – SP)

Curta Metragem: Cores e Botas – Vinhedo-SP (2010) – De Juliana Vicente

cores_e_botas2-E

Sinopse:
O curta-metragem Cores e Botas fala de um sonho comum às meninas do final dos anos 80: ser paquita. Essa possibilidade, ainda que remota para todas as meninas, era extinta para JOANA, uma menina negra, pertencente a uma família de classe média alta, que aparentemente vencera as barreiras do preconceito, com possibilidades que pareciam ser infinitas.

Ficha Técnica
Direção: Juliana Vicente
Roteiro: Juliana Vicente
Assistente de Direção: Daniel Grinspum e Guilherme Severo
Elenco: Jhenyfer Lauren, Luciano Quirino, Danielle Ornellas, Bruno Lourenço
Empresa Produtora: Preta Portê Filmes
Produção: Juliana Vicente

Debate sobre a produção com convidad@s: Marcia Anacleto e Lajara Janaina

FORMAÇÃO LIVRE
19h00 – Debate + Exibição

Local: MIS Campinas (Rua: Regente Feijó, 859 – Centro)

Debate: Encontro de Cineclubistas de Campinas – (Transmissão Ao vivo pela internet)

Cineclube Catavento BollywoodEncontrar, conectar e relacionar Cineclubistas e militantes do audiovisual em um mesmo espaço, para criar mais uma rede de interação e circulação das mensagens audiovisuais.

Média Metragem: Tiraram Minha Casa, Tiraram Minha Vida – São José dos Campos (2012) – Direção: Carlos Pronzato.

Residents of the Pinheirinho slum walk away from a fire set by other residents resisting police arrival to evict them in Sao Jose dos Campos

Sinopse:
A neblina do amanhecer de 22 de janeiro de 2012 deu lugar à fumaça das bombas arremessadas contra a população de Pinheirinho, bairro popular organizado a partir de uma ocupação em São José dos Campos, São Paulo. As terras pertecem a um milionário especulador, que por 30 anos nunca as utilizou nem pagou impostos. Mas o Estado, ao invés de prendê-lo ou confiscar as terras, perdoou boa parte da dívida e devolveu-lhe o terreno, expulsando as mais de 1800 famílias que alí estavam desde 2004. Animais de estimação, livros, fotografias, brinquedos – todos silenciam, violentados, em meio às ruínas. Mas o Pinheirinho resiste. Este documentário narra os percursos de uma luta contra um Estado que não é de todos, mas apenas de uma minoria.

Ficha Técnica
Direção: Carlos Pronzato
Edição: Flávio Galvão
Pesquisa: Fábio Sosa
Produção: Rafael Beverari

19h00  – SEDA NAS RUAS + Debate SEDA GÊNEROS

Local: Praça Ruy Barbosa – Centro (Atrás da Catedral – Campinas – SP)
Intervenção Artística: Coletivo Onírico
Exibição: Mostra de Curtas sobre Gêneros

Curtas Metragens com vários olhares sobre a temática gênero e diversidade sexual. Curtas locais e de outras localidades abrangem e enriquecem o debate proposto sobre o tema.

Debate: “Gêneros, pela descolonização e despatriarcalização da sociedade”

Sexta-feira – 26 de Julho

FORMAÇÃO LIVRE
14h00 – Oficina + Exibição + Intervenção Artística

Local: MIS Campinas (Rua: Regente Feijó, 859 – Centro)
Oficina: Stencil para a Revolução

5540106766_b5dff8150f_o

Curta Metragem: Animação Big Bang Big Boom + Projeções Livres

Nesta oficina colaborativa de audiovisual, abre-se um ambiente de formação livre, que busca praticar a expressão da linguagem audiovisual na sua concepção prática e cognitiva, trazendo um exercício do olhar e expansão reflexiva dentro de necessidades de comunicação sensitiva do olhar subjetivo. A edição será feita em software livre compondo ações colaborativas nos processos abertos.

SEDA CELULOSE

17h00 –  Exibição + Debate

Local: CIS Guanabara (Rua Mário Siqueira, 829 – Botafogo – Campinas – SP)

Longa Metragem: Brasil Orgânico – Brasil (2013) – Direção: Kátia Klock e Lícia Brancher

971924_424982710932407_609596424_n

Sinopse:
O documentário revela histórias de pessoas que têm na produção orgânica uma forte convicção de vida. O roteiro percorre os biomas brasileiros, apresentando a diversidade de ecossistemas, paisagens e culturas. Da pecuária no Pantanal à produção em larga escala em São Paulo, das frutas tropicais na Caatinga ao extrativismo na Floresta Amazônica; de empresas a agricultores familiares e cooperativas da região Sul. São histórias e personagens de um país orgânico.

Ficha Técnica
Direção: Kátia Klock e Lícia Brancher
Produção e pesquisa: Lícia Brancher
Roteiro: Kátia Klock
Produção: Contraponto

Debate: “Dificuldades da produção orgânica e agroecológica” + Convidados (Rede de Agroecologia da Unicamp, Produtores Locais, ANC)

SEDA PRETA
18h00 – Exibição + Debate + Festa SEDA Multilinguagem

DSC02146

Local: Casa de Cultura Fazenda Roseira (Av. John Boyd Dunlop, s/n. Em frente à PUC II, dentro do loteamento – Campinas – SP)

Curta Metragem: Ninguém Leva a Minha Casa – Campinas (2008) – Direção: Coletivo Fazenda Roseira

Curta Metragem: Onde Está Laurindo – Vale do Ribeira-SP (2013) – Direção: Coletivo Prosa Na Serra

Debate: Com convidad@s: Alessandra Dito Ribeiro e Maria Titi, sobre as produções

Contação de História: A intervenção oral da contação de histórias traz consigo a primeira arte de se narrar histórias, conectando o advento tecnológico fílmico. A história de um Besouro conecta a ação cineclubista de discutir uma ideia narrada pelos meios digitais.

Curta-Metragem: Produção LabCultura VIVA

SEDA MULTILINGUAGEM

21h00 – Festa

Apresentação Jongo Dito Ribeiro + Contação de Histórias 2.0 + Projeções Livres + DJ  + Banda A’ruanda + Banda Expresso

Banda A rua’nda

aruanda

Traz em suas letras protesto, revolução, retratando, questionando e informando diversos assuntos da realidade atual. Com um estilo próprio de fazer RAP, A Rua’nda tem influencia de matriz africana e do Rastafari, assim , muito de suas letras falam um pouco de tais ideologias.

Banda Expresso 4.11

Expresso

O “Jardim Ipaussurama 4.11” é um ônibus coletivo que atravessa a periferia e o centro comercial da cidade de Campinas-SP. Transportando trabalhadores, estudantes, e também os integrantes, o ônibus cruza os caminhos da cidade, representando “o trem imaginário que vai até o ponto mais alto e mais profundo, em busca do consciente coletivo”. Desta simbologia, nasce o nome EXPRESSO 4.11, uma banda que mistura instrumentos elétricos e percussivos e busca a junção entre música popular de raiz e o contemporâneo, resultando no som denominado por eles de “Peso Popular Brasileiro”.

Sábado – 27 de Julho

OCUPA PRAÇA

15h00 – Sarau Arte Viva + SEDA – Ação Ocupa Praça

8586630329_7b65fe1925_b

Local: Praça Centro de Convivência Cultural (Campinas – SP)

A Semana do Audiovisual se une à bela ocupação do Sarau Arte Viva para, juntos, trazerem a pauta da ocupação de espaços públicos na cidade de Campinas. A ressignificação também das praças, não só da relação com as ferramentas midiáticas, trazem consigo um elemento único de relação e junção de movimentos para novas concepções.

SEDA CELULOSE
Oficina: Camisetas Stencil, Reciclagem para ambientação de praças

944503_419206068186885_1510788040_n

Oficinas que trazem o Meio Ambiente e a ressignificação dos espaços públicos com materiais reutilizáveis para a reflexão maior da formação humana. Faz parte das novas ideias da Seda Campinas.

Feira de Trocas: Leve seus pertences para trocar e re-significar. Troca de produtos, serviços e saberes.

FORMAÇÃO LIVRE + INTERVENÇÃO

IMG_6689

Intervenção Artística:  “Higienização” Coletivo Onírico (experimento para a oficina)

A performance “Higienização “ coloca em cena máscaras sociais como o mendigo, o artista, o servidor de limpeza, as senhoras de boa família, todos juntos na rua, espaço de disputa social. Pautando a questão da higienização dos espaços públicos, em um contexto nacional de desocupação massiva e um controle social sobre a expressão do individuo e do coletivo, a ação propõe o conflito do convívio.

Palco Aberto Sarau Arte Viva: Inscrição no local

Grafite na Praça:

COMPACTO.CINE
Longa Metragem: Claun – Rio de Janeiro-RJ (2013) – Direção: Felipe Bragança

ClounO projeto é uma fábula de aventura sobre o Rio de Janeiro e o universo dos clóvis e bate-bolas cariocas. A menina Ayana parte em busca do pai desaparecido e se envolve em um mundo de tradições, segredos e máscaras. Produzido pela Bananeira Filmes e Duas Mariola Filmes.

Ficha Técnica
Direção e Roteiro: Felipe Bragança
Elenco: Jennifer Melo, Márcio Vito, Junior Moura, Remo Trajano, Eduardo Speroni, André de Souza, Marina D`Elia, Sandro Matos, Begê Muniz, Carolina Lavigne, Isabella Flach, Sil Esteves.
Produção: Vânia Catani, Felipe Bragança e Marina Meliande

Debate: “Ocupação de Espaços Públicos” + Convidados especialistas no assunto (Transmissão Ao vivo pela internet)

SEDA PRETA

18h00 – Exibição + Debate + Show

Local: Casa de Cultura Tainã (Rua Inhambu, nº 645 – Praça dos Trabalhadores, Vila Padre Manoel da Nóbrega – Campinas – SP)

Curta metragem: Vaguei Os Livros e Me Sujei Com a Merda Toda (2007), de Allan Santos da Rosa, Fabio Monteiro Pereira, Mateus Bertolini de Moraes

Sinopse:
O vídeo aborda a presença apodrecida e patética, ou a ausência estratégica de personagens e autores negros, na literatura que a gente apreende e se lambuza nas escolas, que podem carimbar no nosso peito eternamente o desgosto pela leitura. Mas toca também na história das páginas negras do Brasil e do planeta, nos conhecimentos e paisagens acesas da história da África e de sua literatura, no Hip Hop como tição emparceirado dos livros pretos e na literatura das ladeiras de hoje, das quebradas e rodas paulistanas, literatura de escadão.

Ficha Técnica
Captação de imagens e Concepção da idéia: Akins Kinte e Allan da Rosa
Roteiro: Allan da Rosa e Akins Kinte
Pesquisa histórica literária: Allan da Rosa e Akins Kinte
Pesquisa musical: Mateus Subverso e Allan da Rosa
Pesquisa de imagens: Mateus Subverso e Allan da Rosa
Efeitos especiais: Mateus Subverso
Direção de Arte: Mateus Subverso
Edição: Mateus Subverso, Akins Kinte e Allan da Rosa

Curta metragem: Cidade Improvisada – São Paulo-SP (2012) – Direção: Alice Riff + Clipes de Rap.

31413-2

Sinopse:
15 MC’s improvisam sobre suas opiniões e maneiras de ver a vida nas grandes cidades brasileiras. Com Rapadura, Kamau, Thaide, Max BO, Slim Rimografia, Flow MC, Marcello Gugu, Bebel du Guetto, Funkero, Pri, Suppa Flá, Drika, Tiagão, Mamuti, Shirley Casaverde, DD. As grandes cidades brasileiras e seus problemas sob a ginga e a poesia do freestyle, estilo caracterizado pela improvisação e conhecido pelas batalhas de MCs.

Ficha Técnica
Diretor: Alice Riff
Roteiro: Alice RiffProdutor: Bianca Macedo, Viviane Rocha
Produtor: Bianca Macedo, Viviane Rocha
Elenco: Thaide , Max B.O. , Kamau , Slim , DD , Rapadura , FlowMC , Marcello Gugu, Pri , Drika , Suppa Fla , Bebel du Guetto, Funkero , Mamuti , Tiagão , Shirley Casaverde , Ricardo Pennino
Produtora: Estudio Riff

Debate: Produtores Grife Maças Podres + Ba Kimbuta, sobre produções independentes

Show: Grupo Ba kimbuta

Bakimbuta

Release
http://bakimbuta.wordpress.com/about/

COMPACTO.CINE

19h30 – Exibição

Local: MIS Campinas (Rua: Regente Feijó, 859 – Centro)

Longa Metragem: Elena – Rio de Janeiro (2013) – Direção: Petra Costa

7072202097_cec1e47c1c

Sinopse:
Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade dos anos de ditadura militar e deixa Petra, a irmã de 7 anos. Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas: filmes caseiros, recortes de jornal, diários e cartas. A todo momento Petra espera encontrar Elena caminhando pelas ruas com uma blusa de seda. Pega o trem que Elena pegou, bate na porta de seus amigos, percorre seus caminhos e acaba descobrindo Elena em um lugar inesperado. Aos poucos, os traços das duas irmãs se confundem, já não se sabe quem é uma, quem é a outra. A mãe pressente. Petra decifra. Agora que finalmente encontrou Elena, Petra precisa deixá-la partir.

Ficha Técnica
Direção: Petra Costa
Roteiro: Petra Costa e Carolina Ziskind
Elenco: Elena Andrade, Li An e Petra Costa
Produção: Busca Vida Filmes

Domingo – 28 de Julho

FORMAÇÃO LIVRE
15h00 – Exibição + Debate – Fechamento SEDA

Local: Estação Cultura (Praça Marechal Floriano Peixoto, s/nº, Centro – Campinas – SP)

Curta Metragem: A Caminho da Copa – Rio de Janeiro (2012) – Direção: Florence Rodrigues

AcaminhodacopaCarolina Caffé

Sinopse:
O documentário “A Caminho da Copa” aborda a diversidade de opiniões a respeito dos impactos, positivos e negativos, da preparação do grande evento esportivo no cotidiano do país, buscando contribuir para que o legado social da Copa fortaleça o máximo possível o Direito Humano à Cidade nas principais regiões envolvidas com a recepção do evento.
Este projeto foi desenvolvido pelo Ponto de Mídia Livre do Instituto Pólis (polis.org.br)

Ficha Técnica
Direção e Roteiro: Carolina Caffé e Florence Rodrigues
Imagens de Arquivo: AND Produções
Realização: Instituto Pólis e Pólis Digital
Exibição: Produtos realizados na SEDA + Mostra de Mídias Livres

Debate: O Audiovisual como Mídia Livre e a Democratização Dos Meios de Comunicação + Convidados.

SE-DA QUEBRADA

14h00 – Exibição + Ação Cultural

Local: Jd. Monte Cristo (Pq. Oziel) – Praça da Igreja

+ Campeonato de Pipa + Palco Aberto

+ Exibições às 19h:

– “Profissão MC” – SP (2009) – Direção: Alessandro Buso

– “Favela On Blast” – RJ (2008) – Direção: Leandro HBL

mcs-junior-e-leonardo

Sinopse: Nos morros cariocas, a falta de recursos diminui as opções dos moradores. Em um lugar em que os videogames e computadores são raros, e que uma das maiores diversões das crianças ainda é soltar pipa, o funk é um meio de não se deixar levar para o mundo do crime. Por isso, em diversas comunidades, jovens aprendem desde cedo a usar o que tem para criar novos sons que podem ao mesmo tempo divertir e servir como passatempo no local e ser um meio de sobrevivência para ele e sua família.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s